A MULHER SUNAMITA

Versão para impressão

Representação teatral da história bíblica de Eliseu.
Esquete bíblica

A MULHER SUNAMITA
NARRADOR: Certo dia, passando Eliseu por Suném, onde se achava uma mulher muito rica. E esta mulher sempre convidada Eliseu para comer pão em sua casa, pois ela sabia que Eliseu era um homem de Deus.
(Eliseu está comendo pão, juntamente com a mulher sunamita e o marido. Eliseu se retira).
SUNAMITA: Vejo que este homem que sempre passa por nossa casa é um santo homem de Deus. Façamos pois um pequeno quarto e coloquemos nele uma cama, uma mesa, uma cadeira e um candeeiro. Quando ele vier à nossa casa, poderá repousar lá.
(Através de gestos, o marido chama o servo e manda fazer o quarto para Eliseu)
NARRADOR: E num certo dia, Eliseu mais uma vez se hospeda na casa da mulher sunamita.
ELISEU(para a Geazi): Chama esta sunamita.
Geazi à SUNAMITA: Eis que nos tens sido tão solícita, e por tudo isso, o que faremos a ti? Tens algo a falar para o rei ou ao general do exército?
SUNAMITA: Dentro de meu povo eu habito. (A sunamita e Geazi estão diante de Eliseu).
ELISEU: E o que faremos por ela?
GEAZI: Ora ela não tem filho, e seu marido é velho.
ELISEU: Chama-a.
(Ela se coloca diante de Eliseu).
ELISEU: No prazo de um ano, estarás com um filho nos braços.
SUNAMITA: Não, meu senhor, homem de Deus, não mintas a tua serva.
NARRADOR: E cumpriu o que foi dito por Eliseu. No tempo determinado, a mulher sunamita havia se tornado mãe. E o menino cresceu...
Menino aO PAI: Minha cabeça! Ai, minha cabeça!
O PAI: leva-o a sua mãe.
(Música circunstância - Voz da Verdade Coração Valente)
NARRADOR: Ele o tomou, e o levou a sua mãe. Sobre as suas pernas, ficou sentado até ao meio dia, e morreu.
(A sunamita leva o filho e coloca sobre a cama de Eliseu).
Sunamita ao marido: Me mande um dos seus moços e um jumento, para que eu corra ao homem de Deus, para que ele volte.
Marido: Porque vais a ele hoje? Não é lua nova nem sábado.
A mulher: Tudo vai bem.
(A mulher e o servo vão ao encontro de Eliseu)
Eliseu e GEAZI: Eis aí a mulher sunamita. Corre ao seu encontro e lhe diga: Está tudo bem contigo? Está tudo bem com o seu marido? Vai tudo bem com o seu filho?
(Geazi fez o que Eliseu mandara)
Geazi à mulher: Está tudo bem contigo? Está tudo bem com o seu marido? E com o seu filho?
Mulher: Está tudo bem.
(Ao chegar diante de Eliseu, ela se joga aos seus pés e Geazi vai retirá-la)
ELISEU: Deixa-a, porque a sua alma está triste de amargura e o Senhor mo encobriu, e não mo manifestou.
Mulher: Porventura, pedi eu a meu senhor algum filho? Não disse eu: Não me enganes?
Eliseu a GEAZI: Cinge os teus lombos e toma o meu bordão e vai. Não cumprimentes ninguém no caminho. Põe o meu bordão sobre o rosto do menino.
Mulher: Vive o Senhor, e vive a tua alma, que não hei de te deixar.
(Eliseu e a mulher vão em direção ao filho da dela, Geazi coloca o bordão sobre o rosto do menino, porém nada acontece. Então ele volta a Eliseu).
GEAZI: Não despertou o menino.
(Então eles chegam diante do menino)
(Eliseu deita em cima do menino. Dá uma volta no quarto. Então mais uma vez deita em cima do menino. O menino espirra 7 vezes e abre os olhos.
ELISEU (para a Geazi): Chama a mulher.
(Então chama a mulher sunamita)
ELISEU: Toma o teu filho.
(E veio ela, se prostrou a seus pés, tomou o seu filho e saiu).

 

Do site do MINISTÉRIO EL SHAMAH

Autores: 
Estilos: 
Temas: 
Diversos: