CASAMENTO PRECIPITADO

Versão para impressão
Comédia. O casamento rola na empolgação. Falta de grana. Abandono da igreja. O casal é "convencido" a voltar a frequentar a igreja...

Comédia.

O casamento rola na empolgação.

Falta de grana.

Abandono da igreja.

O casal é "convencido" a voltar a frequentar a igreja...

 

PERSONAGENS:
 (Marido) (Justino)
 (Esposa) (Rufina)Esposa)
 (Voz oculta)
 (Pastor)
 (Pai da noiva) (Bastião)
 (Mãe da noiva) (Filomena)
APRESENTAÇÃO
CENA 1


JUSTINO:  Irmão Bastião, eu vim aqui porque como o senhor já sabe, eu e a Rufina já estamos namorando a alguns dias e...achamos melhor nos casarmos logo, portanto, eu quero pedir a sua filha em casamento!
BASTIÃO:  Mas ainda é muito cedo pra vocês casarem Justino, vocês têm pouco tempo de namoro. Vocês já oraram a Deus e receberam alguma resposta se é ou não da vontade Dele?
JUSTINO:  Não se preocupe com isso não irmão Bastião! Nós somos crentes e sabemos que Deus aprova este casamento, prometo ao senhor que vou cuidar bem da sua filha, vou fazer de tudo pra ela se alimentar e se vestir do bom e do melhor.
BASTIÃO:  E você quer mesmo casar com esse rapaz minha filha?
RUFINA:  Quero sim, pai! Ele é o homem da minha vida e eu o amo muito!
BASTIÃO:  Tudo bem, já que vocês estão decididos, eu aceito.
JUSTINO:  Ah, e quanto ao casamento irmão Bastião, não se preocupe! Já está tudo preparado.
CENA 2 (Casamento)

Solta a música, abre-se as cortinas e entra a noiva com o pai.
PASTOR:  Justino Benedito Rivelino da Silva, você aceita a Rufina Mundica Gestrude Santos como sua legítima esposa?
JUSTINO:  Sim!
PASTOR:  Rufina Mundica Gestrude santos, você aceita Justino Benedito Rivelino da Silva como seu legítimo esposo?
RUFINA:  Sim!
PASTOR:  Eu vos declaro: marido e mulher. Podem se abraçar!
Os noivos se abraçam...
CENA 3

VOZ OCULTA:  Alguns dias depois...
JUSTINO:  chega do trabalho...
RUFINA:  Oi meu amor, que bom que você chegou!
JUSTINO:  Que meu amor o que! Põe logo o almoço na mesa que estou morrendo de fome.
RUFINA:  E vai morrer, porque eu não fiz almoço!
JUSTINO:  Como assim não fez almoço!
RUFINA:  Como eu iria fazer almoço se você nem se quer deixou 1 (um) centavo para fazer as compras?
JUSTINO:  E cadê aqueles dois ovos que deixei na geladeira pra gente comer com aquele resto de cuscuz que sobrou de manhã?
RUFINA:  Eu joguei tudo fora, os ovos estavam podres e aquele cuscuz estava tão duro que nem com uma marreta se quebrava aquilo.
JUSTINO:  E agora?
RUFINA:  E agora se vira, você num é quem é o homem da casa!
JUSTINO:  Tudo bem, não precisa ficar nervosa. Toma R$ 1,00 e vai ali no mercadinho comprar umas tripas secas e um pouco de farinha pra gente almoçar, e ver se não reclama! Porque a sua vida aqui nessa casa é só reclamar de tudo.
RUFINA:  Descalça eu não vou, minha sandália quebrou!
JUSTINO:  Como assim, quebrou! Quer dizer que aquela sandália que eu comprei por R$2,00 ontem no bazar da dona Eugênia já quebrou? Tá vendo só, nada atura com você criatura.
RUFINA:  Deixa de ser mão de vaca amor e compra alguma coisa que presta pra mim! Será que não mereço nada que presta?
JUSTINO:  Merece sim, meu amor! Vou te dar mais R$ 3,50 pra você comprar um vestido bem bonito que vi lá no bazar, e tem que ser no bazar da dona eugênia que lá eu tenho um desconto especial, afinal de contas já sou um cliente bem antigo lá, tudo bem?
RUFINA:  Amor, se existir mais algum marido no mundo igual a você, a mulher já deve ter morrido a muito tempo.
JUSTINO:  Se existisse outro igual a mim meu bem, a mulher dele estaria no céu assim como você está, e ver se vai logo comprar essas coisas que já está até passando a fome.
RUFINA:  Ela já deve está no céu mesmo, porque Deus já deve ter levado ela a muito tempo.
JUSTINO:  Você ainda está resmungando mulher...
CENA 4

VOZ OCULTA:  Justino está esperando a mulher voltar das compras quando de repente...
OS PAIS:  A paz do senhor meu genro, tudo bem? Viemos almoçar hoje com vocês, e cadê a Rufina?
JUSTINO:  (Olha para o lado e diz: Meu Deus e agora, só vai ter tripa seca e farinha para o almoço). Que pena meu sogro, acabamos de almoçar e a Rufina foi comprar uma coca-cola e deve tá chegando daqui a pouco.
RUFINA:  (Entra de de repente) É mentira pai, me ajuda pelo amor de Deus se não o Justino vai me matar de fome, olha aqui o que ele pediu pra comprar para o almoço...
BASTIÃO:  Mas isso aqui é tripa seca com farinha, que história é essa seu Justino?
JUSTINO:  Eu posso explicar irmão Bastião!
BASTIÃO:  Explicar coisa nenhuma rapaz, você num falou que estava preparado para casar e que iria cuidar bem da minha filha, agora venho almoçar em sua casa e me deparo com tripa seca e farinha no almoço, meu jovem!
JUSTINO:  Mas eu não tenho culpa do senhor vir sem avisar. Então vamos fazer o seguinte, nosso casamento já não ia bem mesmo, nem na igreja a gente não tava indo mais, faz o seguinte irmão Bastião, o senhor pega sua filha e leva pra sua casa novamente.
BASTIÃO:  Você está achando que sou o que rapaz? Ela vai ficar aqui e você vai ter que analisar toda esta situação e mudar suas atitudes. Eu deixei vocês casarem, porque confiei em você, agora vocês vão ter que viverem juntos o resto de suas vida e quero ver vocês sempre na igreja, poque o casal que não ora e busca a Deus jamais prosperará. Vão na igreja domingo pra fazermos uma oração por vocês. Alguma coisa que vocês queiram dizer, fui bem claro?
JUSTINO:  Sim, irmão Bastião! Confesso que estou bastante envergonhado e para apagar toda essa história, gostaria de convidá-los a almoçarmos no restaurante, tudo bem!
TODOS:  Tudo bem, vamos lá...
JUSTINO:  Mas o senhor paga a conta irmão Bastião.
BASTIÃO:  O que?
JUSTINO:  Brincadeira.
FIM
 
 

 

Diversos: