ENTRE A CRUZ E A FESTA

Versão para impressão

ENTRE A CRUZ E A FESTA Começa com o questionamento:
Senhor porquê há tanto sofrimento no mundo? o que eu posso fazer para mudar essa história? Quero ser usado pelo Senhor

Passa por "todos" os esteriótipos; Drogado, prostituta, políticos...
Condenação e Crucificação de Jesus, sua vitória declarada assim:
E descendo ao mais profundo abismo, Ele tomou as chaves da morte e do inferno, quebrando os grilhões que nos prendiam e foi preparar lugar para todo aquele que o aceitar.

 CENA I

Jovem lendo em alta voz :
-- porquê o Senhor me ungiu para apregoar a liberdade aos cativos ...
Logo após ele ora:
-- Senhor porquê há tanto sofrimento no mundo? o que eu posso fazer para mudar essa história? Quero ser usado pelo Senhor ...
Ele é interrompido pela voz de Deus:
-- meu filho, sabes que amo todo este povo, e meu espírito geme por ver que preferiram o sofrimento à mim, mas sempre quis libertar o homem, veja como escolhí á Moisés para libertar o meu povo da escravidão no Egito, eu ví o seu sofrimento e lhes dei a minha palavra em tábuas de pedra para que fossem guiados em liberdade, assim os meus filhos foram livres da escravidão e em memória dessa libertação que operei no meio deles, celebraram a primeira páscoa. Levante-se agora e diga à esta geração que eu quero que eles também celebrem a páscoa, a libertação que opero no meio deles, tenho visto o sofrimento do meu povo e descí para livrá-los.

CENA II

Jovem entra pregando: -- Porque Deus amou o mundo de tal maneira ... ... Coloquem na cruz os vossos pecados, não crucifiquem à Jesus, ele já foi crucificado uma vez em nosso lugar, e a sua palavra está gravada nas tábuas do nosso coração, está escrito; Ao que vencer ... ..., também está escrito: quem quiser ganhar a sua vida ... ..., O Senhor Jesus disse: quem quiser me seguir, tome a sua cruz e siga-me, não crucifiquem à Jesus, tirem Jesus da cruz, e coloquem os seus pecados nela, e se alegre, pois você terá muito nesta vida, e muito mais no porvir, você que quer viver o melhor de Deus em sua vida, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz e siga à Jesus !!!

CENA III

viciado: -- Eu te aceito Jesus, de todo o meu coração.
Bêbado: -- Éééé, tá todo mundo indo, vamo lá, mas a minha loirinha, hé, hé, ela vai comigo ...
prostituta: -- perdão Jesus, por ser tão desprezível, mas agora eu te aceito como meu único noivo.
Adúltero: -- Eu o aceito Jesus, só espero que essa igreja não tenha muita doutrina
empresário: -- Eu não tenho muito tempo, mas preciso de soluções, eu te aceito.
Artista: -- Eu te aceito Jesus, afinal de contas, temos algo em comum, somos famosos.
Ladrão – Eu te aceito, eu te aceito, preciso desesperadamente do teu perdão, ajuda-me.
Político – Eu te aceito Jesus, mas o senhor vai me dar uma forçinha na eleição não é?
Religioso – Agora sei que tu és o único Deus, eu te aceito como meu Senhor.
Crente – eu o aceito Senhor.
CENA IV

Diabo (gritando) -- Haaaá, haaaaá, -- fecha caminho (demônio) ... quero todos os demônios aqui! agora!...
Vocês são uns incompetentes... estamos perdendo os nossos súditos, e vocês não prestam... pra nadaaa!!!
Fecha caminhos – Oh may Lord, a culpa é dos p p passssssastores, eles estão falando Dele prá todo mundo (demônios se agitam quando ouvem Dele, diabo recua atemorizado).
Diabo – Ele, sempre Ele me atrapalha, temos que fazer alguma coisa para impedí-lo, e destruir o seu lindo projeto de salvação.
Fecha caminhos – my lord, se me permite eu tenho uma estratégia (espera consentimento) – devemos atraí-los com coisas bonitas e aparentemente boas, para que eles se arrependam da escolha que fizeram e desistam de segui-lo.
Diabo: -- grande idéia, há há há há há há, Ele será desmoralizado, e eles virão para o meu lado. Vamos preparem uma festa, se transformem demônios, vamos parecer bons, afinal de contas, quem tem medo de um gatinho lindo há há há há (todos os demônios gargalham e começam a sedução)

CENA V

Político – Eu trabalho no governo, são milhões, bilhões que passam pelo tesouro, tem tanto desperdício, enquanto em casa falta tanta coisa, nem posso comprar aquela fazenda dos meus sonhos. A vida não é justa. Esse negócio de ser crente é muito difícil, é muito pesado. Será que alguém perceberia se eu superfaturasse as contas, e transferisse uma pequena parte do dinheiro para a minha conta? Ah! Lá tem tanto dinheiro, ninguém vai sentir falta. Ou se eu aceitasse aquela propina para ajudar aquele empresário na licitação?

Não esse remorso de novo, Deus eu preciso desse dinheiro é pela minha família que faria isso. Não aguento mais essa cruz que só me diz: que não posso, que não é certo !!! Ah !!!!! (gritado)

multidão gritando: mentiroso, blasfêmia, fora com ele...
Pilatos – O que vocês querem, quem é este homem
soldado – Este homem está causando desordem na cidade, ele afirma que pode fazer milagres
pelo dedo de Deus, ele diz ser o Rei dos Judeus!
Multidão – mentiroso, blasfêmia, fora com ele...

Artista – porque estou aqui nessa cruz se Deus não está olhando pra mim !
Antes eu tinha os aplusos das platéias, muito dinheiro, status, fama, agora ninguém mais me aplaude, e ainda por cima, o pastor da igreja não me dá uma chance prá me destacar, eu quero cantar, ser famosa.

Ainda tenho que ouvir o pastor pregando sobre o dízimo, de 10% do seu dinheiro prá Deus, até parece que eu vou deixar de usar um VERSACE para dar dinheiro na igreja ... Eu me sinto enganada, tive promessas de que se eu o seguisse teria paz, prosperidade, apareceria no programa do missionário R. R. Soares ... Onde estão estas coisas? Eu não quero mais ficar nesta cruz, preciso descer daqui

Vou descer daqui e fazer as coisas do meu jeito, vou procurar meu próprio caminho.

Multidão -- ... mentiroso, blasfêmia, fora com Ele ...
Pilatos – (faz aceno interronpendo) És tu o Rei dos Judeus ?
Jesus – .......... Tu o dizes!
Multidão – blasfêmia, fora com Ele ...

Adúltero – Eu sou homem, vocês sabem qual a natureza do homem! Minha mulher não sai da igreja, não é mais a mesma que quando nos casamos ... Ah que peso que sinto, não aguento mais tantas regras, que mal há em ter tantas mulheres, eu amo minha esposa mas sou homem!

Quero sair desta cruz e viver minha vida!

Vejo meus amigos de trabalho saindo para boates, conhecendo mulheres, eles é que estão certos, mas eu fico aqui sofrendo tentação, preso nesta cruz. É muito difícil seguir todos esses mandamentos, não cobiçar não adulterar, não dar falso testemunho ... Que foi? Acham que sou santo? Preciso descer daqui.

Multidão -- ... mentiroso, blasfêmia ...
Soldado – Siiiiilêncio!!!
Pilatos – Não ouves as acusações que lhe fazem ? (multidão emudece)

Crente – Ah! Quantas ordens, não posso fazer nada. Não posso sair para onde quero, com quem quero, e ainda tenho que dar satisfação da minha vida o tempo todo para os meus pais. Meus pais? Não percebem que estão ultrapassados?! Na faculdade todo mundo vai pra balada e eu tenho que falar que não vou porque não é lugar de crente.

Qual o problema em sair para dançar e ficar com umas gatinhas de vez em quando? Todos me oferecem cigarro mas tenho que dizer que não fumo, me oferecem bebida mas tenho que dizer que não bebo, tudo porque sou cristão. Tá loco não aguento mais essa pressão. Nem posso experimentar essas sensações novas que o mundo oferece, as luzes, as cores, a noite ...

Eu quero ser normal ... Tenho vários amigos que fazem essas coisas e são normais, boas pessoas ... Estou cansado das pessoas rirem de mim. Não aguento mais essa cruz, não estou mais suportando !!!! Preciso ver o mundo !!! (gritado)

Pilatos – Como vocês sabem chegou o tempo de uma nas nossas festas prinicipais, e é de nosso costume celebrar esta festa, soltando um prisioneiro. (olhando para o soldado) Trazei-me a Barrabás... .... Vocês querem que eu prenda a Barrabás e solte este homem inocente, ou prenda a Jesus e solte a Barrabás?
Multidão – Solte Barrabás, solte barrabás, soltem barrabás ...

Bêbado – Muitas pessoas me machucam, me magoam, pisam em mim e depois querem resolver tudo com um simples perdão. “Me perdoa”. Será que é tão simples assim? Quem bate esquece fácil, quem apanha, não ...

Não consigo liberar perdão àqueles que me magoaram.
Tenho tanta angústia dentro de mim ...

Porque tenho que perdoar, ninguém age assim comigo, se eu erro logo me apontam o dedo e criticam. Ser cristão é muito difícil, é muito mais fácil esquecer os meus problemas com você amiga (levanta copo de pinga e gargalha) mas nesta cruz a gente não pode ficar junto, tenho que descer daqui.

Multidão – solte barrabás, soltem barrabás, solte barrabás ...
Pilatos – Então me respondam, o que farei de Jesus de Nazaré chamado o Cristo ?
Multidão – crucifica-o, crucifica-o, crucifica-o ...

Empresário – Porque estou aqui nessa cruz? Eu tenho tudo. Tenho dinheiro, casa, carro novo, tenho uma família linda, saúde ... Eu não preciso de mais nada para viver! Eu sou muito feliz! Porque tenho que ficar aqui nessa cruz?

Tenho condições de curtir o melhor que a vida pode oferecer. Viagens, shows, passeios ... Porquê ficar preso na igreja perdendo meu tempo?
Não preciso desse Cristo, que todos imploram tantas misericórdias! Eu achei a paz interior, minha vida está completa! Vou descer daqui e cuidar da minha vida!

Multidão – crucifica-o, crucifica-o ...
Pilatos – mas que mal este homem fez?
Multidão – ele é mentiroso, crucifica-o, crucifica-o ...
Pilatos (lavando as mãos) – Eu estou Inocente do sangue deste homem!
Multidão – Que o seu sangue caia sobre nós, crucifica-o, crucifica-o, crucifica-o ...

CENA VI

Abre-se cortina e Jesus aparece crucificado. (enquanto isso as pessoas que desistiram e estavam na maior festança, se assustam ao ver Jesus crucificado)

Satanás – Pensou mesmo Jesus, que com este ato de amor e bondade, iria salvar a humanidade? (dá uma gargalhada)
como um defunto pode ajudar alguém ? Você vai morrer, mas ninguém vai se salvar. (gargalhada, subitamente fica sério)
prendam os escravos !! (demõnios prendem e maltratam as pessoas)
Sabe porque está aqui Jesus?
Jesus – eu estou aqui, porque eu acredito que eles podem ser livres.
Satanás – resposta errada Jesus, o Senhor está aqui, por que eles não quiseram carregar a cruz (aponta para os desistentes)

Jesus – Pai nas tuas mão eu entrego meu espírito (expira).

A cortina se fecha.

CENA VII

As pessoas estão aprisionadas, e são açoitadas pelos demônios(as luzes de festa, fumaça, serpentina, música de dança some e dá lugar à pânico e gritaria, só luz vermelha) até que de repente surge um som bonito e uma luz que vai iluminando tudo com a chegada de Jesus, os demônios não conseguindo olhar para a luz caem de joelhos, as algemas dos justos são quebradas, Jesus toma as chaves do inferno, e entra nos portais do céu com os quatro justos

narrador: E descendo ao mais profundo abismo, Ele tomou as chaves da morte e do inferno, quebrando os grilhões que nos prendiam e foi preparar lugar para todo aquele que o aceitar.

Fecha cortina.

Senhor porquê há tanto sofrimento no mundo? o que eu posso fazer para mudar essa história? Quero ser usado pelo Senhor

Peça do blog Teatro Evangélico (lá tem o vídeo da peça)

Diversos: