MÃE EU TE AMO

Versão para impressão

Uma descontraída encenação de uma situação comum dos nossos dias: o breve esquecimento por parte dos filhos em relação aos dias das mães. Na peça, as personagens secundárias (os filhos) se lembram a tempo da data comemorativa e prestam uma homenagem à personagem principal (a mãe).

 

(PASSA UMA JOVEM SENHORA DE VASSOURA, AVENTAL E LENÇO NA CABEÇA - CANTAROLANDO E VARRENDO - SENTE DORES NAS COSTAS).

DONANA -. Quanto mais a gente limpa mais sujeira aparece! Quem é dona de casa entende perfeitamente o que eu digo. Bem, se for uma dona de casa prendada como eu! E olha que eu deixo essa casa brilhando, sem precisar jogar sujeira pra debaixo do tapete. (olha tímida a igreja, como se estivesse sendo filmada) É que sou limpinha! Eu me chamo Ana, mas pra todo mundo da redondeza é Donana. (mexendo nas unhas) Espia só! Se tiver precisando assim... de uma faxina, uma limpezinha na sua casa, não se acanhe não, tá? Pode falar comigo que eu ensino direitinho o caminho pra comprar uma boa vassoura, uma escova de roupa e bastante material de limpeza pra a senhora deixar sua casa limpinha, igualzinha a minha. Olha só, não precisar nem de academia mais. Vai queimar toda a gordura nos afazeres domésticos. (T) A minha ginástica é no tanque, na vassoura. Ah! E tem o sobe e desce da ladeira pra comprar mantimento fiado na mercearia do seu Joaquim. Compro na caderneta e pago certinho, todo dia cinco. (T) Não posso esquecer de falar dos meus filhos. São tão dedicados! Eles me ajudam arrumar a casa no dia das mães. (chateada) Uma vez no ano, mas ajudam, tá? (crítica) Tem filho que nem isso faz! (continua limpando e cantando).
MARQUINHO – Mãe, cadê a minha meia branca?
DONANA - (ao público) É o Marquinho, meu menino! (T) Tá na corda, acabando de secar.
MARQUINHO - Vou sair com ela, mãe!
DONANA - Mamãe vai secar no ferro já, já, filho.
MARQUINHO - Ela tava limpa, mãe!
DONANA - Duas semanas com a mesma meia e ainda diz que estava limpa! Saiu tanta água preta que parecia que eu tava lavando o coador de café! Esse menino tem cada uma!
MARQUINHO - Atchim! Ô mãe!
DONANA – Fala, coisa rica da mãe. O que foi dessa vez?
MARQUINHO - Eu tô espirrando!

DONANA - (igreja) Isso todos nós ouvimos!
MARQUINHO - Deve ser esse quarto empoeirado.
DONANA - Ah não, filho! Mas não é mesmo! A mamãe tirou todo o pó ontem à noite desse quarto. (com as mãos nas costas, fala à igreja) Tô quebrada! (alto) Deve ser perfume demais, não?
MARQUINHO - (entrando) Peguei no quarto da senhora.
DONANA - Meu perfume da Avon! (ele fica sem graça) Você pegou o “toque de amor’ ou “charisma”, filho?
MARQUINHO - Na dúvida em saber qual era o melhor, coloquei os dois. To indo nessa!
DONANA - Vai sair sem meia?
MARQUINHO - Esquenta não!

DONANA - Pode se resfriar filho.

MARQUINHO - Mãezinha do coração!
DONANA - (igreja) Pronto! Ele disse mãezinha do coração!
MARQUINHO - (coçando a cabeça) Tem dinheiro aí, mãezinha?!
DONANA - (varrendo) Tava demorando. (T) Ta em cima da geladeira, debaixo do pingüim. Cuidado pra não quebrar meu pingüim... É relíquia, filho! Pega cinco reais e não esquece do troco.
MARQUINHO - Mãe... (ela não responde). Ô mãe, responde!
DONANA - (irritada) Fala, filhinho da mamãe!
MARQUINHO - Alguém me ligou?
DONANA - (pausadamente) Alice, Beatriz, o Marcelo e... Esqueci.

MARQUINHO - Existe papel e caneta pra quê, mãe?!
DONANA - Pra escrever, né, filho?! (resmungando) Pra que eu ia querer....
MARQUINHO - Falando sozinha, mãe?
DONANA - É a idade, filho! (cantarolando)

(ENTRA MONIQUE)
MONIQUE – Parabéns, minha mãe!
DONANA – Obrigada, filha! (olhando em volta) Ta ficando limpinho, né, filha?!
MONIQUE - Não é pela limpeza, mãe!
DONANA – Ah, filha, obrigada! (beija a filha). Obrigada mesmo, mas o meu aniversário foi mês passado!
(ENTRA MARQUINHO)
MARQUINHO - Fala maninha!
MONIQUE – Marquinho, a mamãe tá limpando a casa hoje?
DONANA - Pelo cheirinho, o frango já está assado. Marquinho, você não vai sair agora. Espere o almoço. Depois a gente sai junto pro ensaio na igreja. (e sai)
MARQUINHO - Não entendi, Monique. Fala!
MONIQUE - (explica com clareza) Hoje é o dia das mães, logo, a mamãe não faz nada, não trabalha... A gente deveria ter ido almoçar fora. (nervosa) Eu vi a mamãe limpando a casa no dia das mães!
MARQUINHO - Lembrei cedo, mas a mamãe tava tão feliz na limpeza que eu não quis contrariar.
MONIQUE – Pensa, cabecinha!

MARQUINHO - Não tô a fim de pensar não!
MONIQUE- Não! A minha cabecinha. Pensa rápido... Legal! Vamos cantar uma música pra mamãe.
MARQUINHO - Cantar eu gosto, maninha!
MONIQUE - Fique quieto pra não estragar a surpresa! (ele sinaliza que sim, sacodindo os dedos empolgado) Mãe!
DONANA – Fala, minha lindinha!
MARQUINHO - (nervoso) Não, mãe! A senhora precisa vir até a sala, se não a surpresa não tem graça.
DONANA - O quê? Já to indo, bebezinho da mamãe!
MONIQUE - Fique quieto. Eu sabia!!

DONANA - Tá brigando com o Marquinho! O que acontece? (coloca um de frente para o outro) Menina, peça desculpa já! (tira a sandália do pé e ameaça a dar umas “chineladas”) Monique, peça desculpa pro Marquinho.
MONIQUE – Desculpa!
DONANA – Fale assim: “Desculpa, Marquinho”.
MONIQUE - Desculpa Marquinho.
DONANA - (autoritária) Sua vez, Marquinho.
MARQUINHO - (pausadamente) Desculpa, Monique. Assim, mãe?
DONANA - Foi rápido o meu menino! Eita menino inteligente da mamãe.
MONIQUE e MARQUINHO - (sorrindo) Mãe!
DONANA - (chateada, pega a sandália) Tá rindo da mãe. (olhando os dois) O que eu fiz de engraçado?
MONIQUE - A gente ama a senhora.

MARQUINHO - Ela ta falando a verdade mãe. A gente ama a senhora.
MARQUINHO e MONIQUE - Feliz dia das mães!
DONANA - Dia das mães! (T) Pensei que tivessem esquecido! Obrigada, meus amores. Eu amo muito vocês. Eu aqui triste por dentro, pensando...
MONIQUE - Senta aqui, mãezinha! (a colocam no centro)
DONANA - Sento!

(OS FILHOS CANTAM A MÚSICA “MÃE EU TE AMO” DE MARCELO NASCIMENTO. PODE SER UMA OUTRA MÚSICA)

PALAVRA FINAL

DESSA FORMA BEM DESCONTRAÍDA QUE O MINISTÉRIO DE TEATRO (OU GRUPO) RESOLVEU HOMENAGEAR TODAS AS MÃES DE NOSSA IGREJA E AQUELAS QUE NOS VISITAM. (T) QUE O SENHOR REALIZE O DESEJO DO CORAÇÃO DE CADA MAMÃE AQUI PRESENTE. (T) E AQUI VAI UM RECADO PARA VOCÊ QUE É FILHO: COMEMORE TODOS OS DIAS O DIA DAS MÃES. APROVEITE ENQUANTO ELA ESTÁ PERTO. QUEM NÃO TEM MAIS A SUA MÃEZINHA SABE DO QUE ESTOU FALANDO. AME COM GESTOS, ATITUDES E PALAVRAS. NÃO QUE ELA PEÇA ISSO. NÃO! MAS PORQUE ELA MERECE! SE A SUA MÃE NÃO ESTÁ COM VOCÊ AQUI NA IGREJA, DIGA NA PRIMEIRA OPORTUNIDADE “MÃE, EU TE AMO”. MAS SE ELA ESTIVER AQUI, FAÇA ISSO AGORA. MÃE, EU TE AMO!

Autores: 
Estilos: 
Diversos: