MENSAGEM DA CRUZ

Versão para impressão
Grupo de jovens foi evangelizar no presídio e foi tomado como refém. As meninas foram violentadas. A peça mostra Jaque e seu comprometimento com a obra do Senhor, antes de ir fazer o evangelismo. Também depois, como refém, sofrendo mas com sua fé e sua vida firmes e entregues ao Senhor.

Grupo de jovens foi evangelizar no presídio e foi tomado como refém. As meninas foram violentadas.
A peça mostra Jaque e seu comprometimento com a obra do Senhor, antes de ir fazer o evangelismo. Também depois, como refém, sofrendo mas com sua fé e sua vida firmes e entregues ao Senhor.
*Baseado em uma história real

PEÇA REGISTRADA!
Há direitos autorais, por este email thaisbelo_12@hotmail.com poderás ter autorização para usá-la  É SÓ ENVIAR UM EMAIL COM O NOME DA PEÇA.

OBS 1: PARA ADQUIRIR O ÁUDIO ENVIE EMAIL - thaisbelo_12@hotmail.com
OBS 2: Caso seja feito vídeo das peças, colocar o nome da autora.

PERSONAGENS:
- Jaqueline
- Bia
- Dona Ângela
- Narrador
- Mãe de Bia
*Figurantes: presidiários/ Amigos de Jaqueline e Bia
O ideal é ter uma quantidade boa de pessoas, nem mais (nem menos). Vai Depender de quantas pessoas você tiver disponíveis para fazer a peça. As roupas dos presidiários devem ser surradas (aspecto envelhecido).
CENA 1
Jaqueline está em casa sentada lendo a bíblia. Após a leitura, a jovem fecha a bíblia e começa a orar dizendo:
JAQUE: - Senhor, quero te louvar por mais um dia. Me perdoe se pequei com palavras ou atitudes. Me ajude a ser fiel a ti em qualquer circunstância. Porque eu te amo! Abençoe minha viagem amanhã e todos que vão comigo. Toque os corações das pessoas, usando nossas vidas. Em nome de Jesus! Amém!!!
Jaqueline fica alguns minutos com a cabeça baixa, em silêncio. Em seguida olha para cima e sorri, pois Deus fala ao seu coração. Imediatamente ela pega uma folha e começa a escrever. Deus fala algo tão forte que Jaque tem pressa em anotar tudo que está recebendo da parte de Deus. Ao terminar de escrever, dobra a folha e guarda dentro de uma bíblia. No mesmo instante, entra Dona Ângela, sua mãe e diz:
DONA ÂNGELA: - Filha, já separei tudo para sua viagem amanhã.
JAQUE: - Obrigada mãe. Sabia que eu te amo muito? (pega nas mãos da mãe)
DONA ÂNGELA: - Ô filha! Também te amo. Você é uma benção na minha vida! Seu pai teria orgulho de você.
JAQUE: - Por que mãe?
DONA ÂNGELA: - Ah filha! Amanhã você fará sua primeira viagem evangelística. Você e o grupo jovem vêm se preparando há meses. Sei que será uma benção! Tenho certeza que seu pai sentiria orgulho de você, minha missionária (Dá um beijo na testa da filha).
JAQUE: - Ô mãe, me dá um abraço!!! (As duas se abraçam)
JAQUE: - Agora vou dormir porque amanhã saio bem cedo.
D. ÂNGELA: - É verdade.
Jaque sai de cena abraçada com a mãe e conversando. (Simulação de conversa)

CENA 2
Chegou o dia da viagem. Jaque sai com uma mochila nas costas e muita alegria. Se despede da mãe (nos bastidores – falas da despedida da filha *Jaque para mãe *Dona Ângela).
JAQUE: - Tchau mãe!
DONA ÂNGELA: - Vá com Deus filha!
No caminho, Jaque encontra sua amiga Bia...
JAQUE: - Oi Bia! E aí, tudo pronto pra peça que faremos hoje?
BIA: - Sim! É impressão minha ou chegamos cedo demais?
JAQUE: - Chegamos sim. Falta pouco para o restante do pessoal chegar. Eu sei que será uma benção!
BIA: - Amém!
JAQUE: - Bia, essa noite Deus me revelou algo sobre nossa ida ao presídio.
BIA: - Foi? (faz uma expressão de curiosidade)
JAQUE: - Deus me disse que... (no mesmo instante chegam os meninos do evangelismo e interrompem Jaqueline).
MENINOS: - Paz!
JAQUE/BIA: - Paz!
JAQUE: - Bom pessoal, já que todos estão aqui, vamos indo! O horário de visitas começa daqui a pouco. Vamos!

CENA 3
Jaque, Bia e os meninos chegam ao presídio. Estão felizes e gratos a Deus pela oportunidade de levar a sua palavra. Imediatamente se preparam para evangelizar os homens que vivem naquele lugar.
Com bíblias nas mãos, os meninos distribuem folhetos com mensagens bíblicas (nessa cena os meninos simulam conversas *silenciosas – evangelizando os presidiários e entregam folhetos).
Os presos começam a se juntar para ver Jaque e Bia em uma dramatização, as duas se preparam para uma peça teatral (obs.: Nessa cena, Jaque e Bia fazem uma maquiagem rápida para apresentar a pantomima “A verdadeira alegria” ou “Não toque” – sugestões de peça).
Jaque e Bia começam a encenar a peça. Alguns presos que estavam distraídos, logo ficam atentos na história interpretada pelas meninas. Ao final da peça os presos aplaudem. Jaque e Bia retiram a maquiagem enquanto conversam. As amigas estão felizes por estarem ali.
Os meninos da equipe continuam a falar com alguns presidiários. Uns estão sensibilizados com a mensagem que foi dramatizada, aceitaram a Cristo (Na mesma hora os meninos da equipe oram com dois presidiários que fizeram sua decisão) – Colocar a mão no ombro e orar silenciosamente com dos figurantes (presidiários) que aceitaram a Cristo.
Outros apenas observam toda a equipe de evangelistas, principalmente Jaque e Bia. Quando um deles diz:
PRESIDIÁRIO 1(líder): - E aí tudo pronto?
PRESIDIÁRIO 2: - Tudo ok chefia. Falei com “os mano”, tá todo mundo ligado só esperando.
PRESIDIÁRIO 1: - Quando eu der o sinal, a rebelião começa. O diretor vai ter que ouvir o que a gente tem a dizer, se não eu...
PRESIDIÁRIO 3: - Se não o que chefe?
PRESIDIÁRIO 1 (líder): - Você vai ver. Eu tinha outro plano, mas como que esses crentes tão aqui, vou usar eles pra gente sair da cadeia.
Os presidiários olham para a equipe de evangelismo. Com facas escondidas por dentro das roupas, se preparam para usar Jaque, Bia e seus amigos como reféns. O ataque começa...
PRESIDIÁRIO 1(líder): - Todo mundo quietinho... Quietinho senão eu mato a garota!!! (o líder surpreende os carcereiros e coloca uma faca no pescoço de Jaque).
Os carcereiros se rendem, colocando as mãos na cabeça.
PRESIDIÁRIO 1(líder): - Prendam eles!
Imediatamente Bia e os outros também são mantidos reféns pelos presidiários. A equipe de Jaque fica sem reação. Ela começa a lembrar o que Deus havia falado sobre sua viagem. Abaixa a cabeça, fecha os olhos e faz uma breve oração (orando em pensamento). Depois, conversa com o líder...
JAQUE: - O que você quer da gente?
PRESIDIÁRIO 1(líder): - O diretor tem que vim pra falar com “nóis”. Se ele não aparecer eu vou matar um por um.
Os presidiários vibram. A penitenciária foi tomada pelos rebelados. Bia, Jaque e os meninos agora reféns, vão aguardar a chegada do diretor.
PRESIDIÁRIO 2: - Chefe, o que a gente faz agora? (diz isso com a faca no pescoço de Bia)
PRESIDIÁRIO 1 (líder): - Leve eles lá pro pavilhão 8.
PRESIDIÁRIO 3: - Sim chefe! (Sai de cena com Jaque, Bia e os outros meninos – todos amarrados e com ajuda de outros figurantes *presidiários).
O Presidiário 2 olha para a equipe de Jaque e diz:
PRESIDIÁRIO 2: - Chefia, eu tô pronto! Quando quiser eu...
PRESIDIÁRIO 1 (líder): - Ninguém vai encostar um dedo nos crentes, tá ouvindo? Pode falar pros outros. E se tiver alguma treta, a chapa vai esquentar pro teu lado, falô?
PRESIDIÁRIO 2: - Chefe, a coisa tá preta.
PRESIDIÁRIO 1 (Líder): - No pavilhão 5 tão dizendo que o sr. vai entregar “nóis” e dar um *pinote daqui. Disseram também que a polícia vai invadir nosso pavilhão. O que a gente faz chefe? (*Pinote – fugir)
O líder dos rebelados fica furioso e bate no presidiário 2...
PRESIDIÁRIO 1 (líder): - Quem inventou essa história? (puxa a orelha do presidiário 2)
PRESIDIÁRIO 2: - Ai, ai, ai!!! Eu, eu não sei chefia. Só tô dizendo o que os mano do pavilhão “falô”.
PRESIDIÁRIO 1 (líder): - Deixa a polícia entrar. A gente leva os crente lá pro pátio e usa como escudo. Aí eu quero ver se o diretor não vai deixar a gente sair. Espera minha ordem beleza? Até lá os crentes são nossos.
PRESIDIÁRIO 2: - É nóis! Tô doido pra meter bala na PM.
PRESIDIÁRIO 1 (Líder): - Calma! Sua hora vai chegar. Daqui a pouco traga uma das garotas pra minha cela.
PRESIDIÁRIO 2: - (Risos)O sr. não perde tempo hein? Posso ficar com a outra?
PRESIDIÁRIO 1 (Líder): - Vou pensar no teu caso (risos). Agora vai buscar a garota!
Os Presidiários 1 e 2 saem de cena (separados). Uma música dramática (fundo musical instrumental) começa a ser tocada para que o narrador conte os últimos fatos de Jaque e sua equipe.
SUGESTÃO: O narrador pode fazer uma maquiagem nas cores (preto e branco – estilo teatro mágico *a foto da maquiagem está no post do meu blog: Foto da maquiagem )
OBS: O narrador entra em cena e conta os últimos fatos dos personagens da história. Os presidiários, Jaque e sua equipe SAEM DE CENA.
NARRAÇÃO:
O grupo de evangelistas ficou em poder dos presidiários por três dias. Nesse período, Jaque e Bia foram violentadas. Mesmo assim, Jaque orava e falava do amor de Deus. Não tinha medo, nem revolta, pois seu rosto resplandecia a luz de Jesus.
Durante o sequestro, Jaque e sua equipe cantavam a Deus. Ele se fez presente naquela prisão. Um dos sequestradores recebeu Jesus como Salvador, e pediu que os presidiários o tratassem como um dos reféns. No terceiro dia, durante um tiroteio entre prisioneiros e policiais, Jaque e Bia foram usadas como escudo. Jaque ergueu as mãos e orou por todos que estavam no local. E antes de morrer cantou a Jesus. Ao lado estava o corpo ensanguentado de Bia. As jovens morreram por levar a mensagem da cruz.
*Após a narração, o narrador sai.

CENA 4
DICA: Na última cena, figurantes já devem estar posicionados para representar a saída de um funeral. Pessoas usando óculos escuros, alguns usando roupas pretas. Entrar em cena cabisbaixos, pessoas abraçando Dona Ângela. Outras enxugando as lágrimas e em silêncio.
Jaque, Bia são sepultadas. Dona Ângela abraça a bíblia da filha. Todos vão prestar *condolências a mãe de Jaque.
*CONDOLÊNCIAS: Pêsames (sentimentos à família que perdeu um ente querido).
Um a um abraçam Dona Ângela e saem (figurantes). O silêncio toma conta daquele ambiente. A mãe de Jaque mesmo abatida (fazer uma maquiagem como se estivesse com olheiras), cumprimenta a todos. Por último a mãe de Bia abraça Dona Ângela. Então a mãe de Bia diz:
MÃE DE BIA: - Beatriz admirava Jaque. Elas eram tão amigas...Por quê? Por quê meu Deus! (fala desesperada colocando a mão no rosto e chorando).
DONA ÂNGELA: - Eu sei que é um momento difícil. Mas isso foi a vontade de Deus. Nossas filhas eram servas do Senhor e morreram fazendo a obra dele. Ele as levou porque cumpriram o propósito delas aqui na terra.
MÃE DE BIA: - E como é que você tem tanta certeza Ângela?
DONA ÂNGELA: - Porque Deus já tinha falado a minha filha. Eu tava arrumando a sala e vi que ela tinha deixado uma bíblia que ela gosta em cima da mesa. Quando ia guardar a bíblia, caiu esse papel de dentro (mostra o papel com as anotações feitas por Jaque).
MÃE DE BIA: - Deixa eu ler!
DONA ÂNGELA: - Calma! Você está muito nervosa! Deixa eu ler pra você.
Então Dona Ângela lê o que Jaque havia escrito...
“ Sei que não voltarei, mas não fiquem tristes. Não estou triste, pois se pelo menos uma vida se entregar a Jesus, minha morte não terá sido em vão”.
A mãe de Bia abraça Dona Ângela e saem de cena.
*Música “Um lugar para descansar” (Tocar seguinte trecho: Além da dor, além do choro existe alguém que olha por você...) – Livres para Adorar
OBS: Já editei o trecho da música. Quem desejar a música, envie email para thaisbelo_12@hotmail.com Vale a pena usar no fim da peça...fica emocionante!
FIM

BLOG DA AUTORA Thais Belo Mamede

Estilos: 
Temas: 
Diversos: