PRESENTE PARA JESUS

Versão para impressão
Fernando sabe que no natal comemoramos o nascimento de Jesus. Ele quer dar um presente digno para o Salvador. Fernando lembra de palavras de Jesus enquanto procura o presente. Mas é difícil encontrar um presente para o nosso Senhor. Um menino carente se aproxima, com fome(era um dos pequeninos de Mateus 25:40)

Fernando sabe que no natal comemoramos o nascimento de Jesus. Ele quer dar um presente digno para o Salvador.
Fernando lembra de palavras de Jesus enquanto procura o presente. Mas é difícil encontrar um presente para o nosso Senhor.
Um menino carente se aproxima, com fome(era um dos pequeninos de Mateus 25:40)


CENA 01

 

(Manter em cena um calendário grande com a data 24 de dezembro)

 

(Rapaz deitado numa cama dormindo, e outro sentado num sofá, lendo ou vendo TV, até que toca o despertador. O rapaz que estava deitado levanta depressa e começa a se arrumar)

LEONARDO:  Onde você vai assim tão cedo?

FERNANDO:  Amanhã é o aniversário de um grande amigo meu, eu diria mais, meu melhor amigo!

LEONARDO:  Humm... e quem é?

FERNANDO:  Jesus o mestre dos mestres, afinal, não existe maior amigo do que ele. E amanhã é o seu aniversário.

LEONARDO:  E já sabe o que vai dar a ele?

FERNANDO:  Ainda não sei, mas vou numa boa loja e comprar algo a sua altura. (saindo)

LEONARDO:  Missão nada fácil, mas boa sorte!

 

CENA 02

VENDEDOR:  Bom dia! No que posso ser útil meu bom jovem?

FERNANDO:  Preciso comprar um presente para um bom amigo.

VENDEDOR:  E já tem algo em mente?

FERNANDO:  Pensei em uma camiseta branca.

VENDEDOR:  Tenho diversas camisetas brancas, veja.

FERNANDO:  (Entusiasmado) Nossa, são muito bonitas! (reflexivo) Mas... nem o branco mais branco da terra poderia ser comparado a sua pureza.

VENDEDOR:  Quem sabe um lindo par de sapatos de couro.

FERNANDO:  São realmente lindos... mas... seus pés calçados pelas sandálias da missão cumprida... acho que não existe na Terra algo tão confortável que mereça seus pés.

VENDEDOR:  E talvez quem sabe esta caneta de marca famosa.

FERNANDO - Seria um lindo presente... mas lembro que Ele nunca escreveu nada, tudo que Ele falou, mostrou na prática, servindo e amando sempre.

VENDEDOR:  Você não lembra de nada que ele tenha comentado que pudesse querer?

FERNANDO:  Deixe me ver... ahh... Lembro-me, que um dia Ele falou que não tinha sequer um travesseiro para recostar sua cabeça, talvez um confortável travesseiro então.

VENDEDOR:  Quem sabe o melhor travesseiro de plumas de uma fábrica especializada em sono, é importado e muito confortável.

FERNANDO:  (Abre um sorriso, porém desanima) Acho que não. Os justos dormem tranquilos e sei que Ele jamais usaria o travesseiro.

VENDEDOR:  Vejamos... temos aqui ainda: abotoaduras de ouro, malas de viagem, bebidas finas, comidas importadas...

FERNANDO:  (desanimado) Tudo supérfluo, tudo matéria que o tempo irá corroer. Obrigado pela ajuda, mas acredito que não vou conseguir encontrar nada.

(SAI DA LOJA)

CENA 03

(senta em um banco)

FERNANDO:  Ahh Jesus, saí de casa hoje tão animado para lhe comprar um presente, mas não encontrei nada.

(Nesse momento um menino muito miudinho, com o rosto sujo e as mãos encardidas se aproxima sorrindo)

MENINO:  Qual seu nome? (estendendo a mão)

FERNANDO:  Fernando e o seu?

MENINO:  Gabriel!

FERNANDO:  Onde está sua mãe?

MENINO:  (ele dá de ombros) Não sei...

FERNANDO:  E o seu pai?

MENINO:  Não sei onde está, nem nunca soube...

FERNANDO:  Olha só, sabia que eu estou com uma fome danada, será que você não quer comer um lanche comigo?

MENINO:  (Timidamente sorrindo) Sim!

(Pegam na mão um do outro)

(MÚSICA)

(Mostra algumas coisas, para o menino que fica vislumbrado com todas aquelas luzes e enfeites e pessoas bonitas)

(Sentam-se em uma mesinha de uma lanchonete e começam a comer)

NARRAÇÃO EM OFF:  Sentados ali, começamos a conversar e ríamos felizes como dois velhos amigos. Falavam sobre bolinhas de gude, pipas e bola de futebol, coisas importantes para o ser humano, principalmente quando somos crianças.

FERNANDO:  Você quer um sorvete gigante como sobremesa?

MENINO:  (com olhos brilhando feito o sol) Sim!

FERNANDO:  Só um instante.

(Vai até o caixa, quando volta com os sorvetes na mão o menino já não esta mais ali)

FERNANDO:  Gabriel? Onde você esta? Será que foi ao banheiro? Ou será que esta olhando algo na lanchonete? Alguém o viu? (pausa) não está em lugar algum...

(Encontra sobre a caixa de batatas-fritas vazias um papelzinho, um bilhetinho escrito com letra miúda)

FERNANDO:  O que é isso? Um bilhete? O que será que diz? (Começa a ler)

NARRAÇÃO EM OFF:  "Obrigado pelo melhor presente de aniversário que poderia me dar: Fizeste feliz um dos pequeninos do mundo!"

FERNANDO:  (emocionado) Assinado, Jesus.

Mateus 25:40. “Em verdade eu vos declaro: todas as vezes que fizestes isto a um destes meus irmãos mais pequeninos, foi a mim mesmo que o fizestes.”

 

- FIM -

 

Baseado na mensagem de Paulo Roberto Gaefke, do site Meu anjo

Blog do autor Tiago Ferro Pavan

Fonte WEB  Teatros Católicos

Datas: 
Estilos: 
Diversos: